Samuel e o Próprio Deus são Rejeitados

Imagem
  Lisens:  CC BY SA 4.0 Samuel e o Próprio Deus são Rejeitados (Complemento do artigo anterior) Os filhos de Israel sempre foram ingratos, esquecendo-se das obras de Deus, e de todas às vezes que clamavam por socorro e eram atendidos, agora além de desprezarem Samuel, rejeitaram a soberania de Deus. Já vimos que a mãe de Samuel, Ana, sob os cuidados de Eli, sumo sacerdote e juiz de Israel, entregou seu filho a Deus, e o menino cresceu aprendendo a Palavra de Deus. Samuel começou seu ministério como profeta muito jovem e foi o primeiro profeta de Israel (mencionado na Bíblia - Atos 3.24) e o último juiz. Se ainda não leu o início da história de Samuel, então leia neste artigo 👉 A Fidelidade e a Santidade de Samuel . O Início da Monarquia Samuel exortou o povo a abandonar seus ídolos, aproximar-se mais de Deus e preparar seus corações para o Senhor, que Ele libertará Israel das mãos dos filisteus. Samuel também convocou todo o Israel para congregar em Mizpá, ali houve arrependimento, je

A Fidelidade e a Santidade de Samuel


Ana-Samuel-Eli
Atribuição: Frank William Warwick Topham, Domínio, via Wikimedia Commons


A Fidelidade e a Santidade de Samuel

Samuel além de sacerdote, foi o primeiro profeta e o último juiz de Israel, e Deus o honrou por sua fidelidade e santidade. Os pais Elcana e Ana foram abençoados e tiveram filhos e filhas.


Ana, uma mulher atribulada de espírito, mas não embriagada, derramou a sua alma perante o Senhor. (cf 1 Samuel 1:15). Deus ouviu o balbuciar dos seus lábios e Ana deixou de ser estéril. Ela chamou o seu primeiro filho de Samuel que significa: “nome de Deus”.



Samuel foi entregue a Deus por sua mãe, ainda criança aos cuidados de Eli, sumo sacerdote e juiz de Israel, os pais Elcana e Ana foram abençoados por Eli e ela teve três filhos e duas filhas. Samuel cresceu na presença de Deus, mesmo com os maus exemplos dos filhos de Eli, ele não se desviou dos caminhos do Senhor e foi fiel até a sua morte.



A cada ano a mãe do menino leva uma túnica para o filho, ele crescia conhecendo a Palavra do Senhor, todavia a sua infância e juventude teve momentos difíceis nos quais o povo havia se desviado dos caminhos do Senhor, foram poucos os que permaneceram nos caminhos de Deus. Como se não bastasse, os próprios filhos de Eli faziam o que era mau aos olhos de Deus. Eles foram denominados filhos de Belial (cf 1 Samuel 2.12).



Eli já era muito velho, e ouvia tudo que os filhos faziam, inclusive deitar-se com as mulheres que em bandos se juntavam à porta da tenda da congregação.


Contudo, Samuel ministrava perante o Senhor, sendo ainda jovem, vestido com um éfode de linho.





Um Homem de Deus Repreende Eli


Jeová usou um homem para repreender Eli, dizendo-lhe que aqueles que o honrassem seriam honrados, mas aqueles que o desprezasse seriam desprezados. Foi anunciado que a casa de Eli morrerá na idade do seu vigor. Os dois filhos Hofni e Finéias morrerão no mesmo dia, o que será um sinal de tudo o que está por vir.



Ele também disse que Deus levantará um sacerdote fiel, que agirá conforme a vontade dEle. O Senhor lhe edificará uma casa segura, e ele andará diante do seu ungido. Foram muitas outras coisas que o Senhor falou a Eli através desse homem de Deus (cf 1 Samuel 2.27-36).



Esse sacerdote fiel que agirá conforme a vontade de Deus, é o profeta Samuel, O Senhor andará diante dele. Deus não abandona aquele que tem compromisso com Ele.



Deus Fala com Samuel

Samuel estava deitado no santuário, onde se encontrava a arca de Deus. O Senhor o chamou três vezes, a primeira e a segunda vez, ele pensou que fosse Eli e correu para o sacerdote, na terceira vez o sacerdote entendeu que o Senhor chamava Samuel, então Eli explicou como deveria responder ao chamado. Ao responder à voz de Deus, Ele disse a Samuel o que ia fazer com a família de Eli, devido aos pecados dos seus filhos, dos quais, tinha consciência, e não os puniu.





O Rapto da Arca e a Morte de Eli


O Senhor estava com Samuel e todas as profecias dele se cumpriam. Todo Israel o reconhecia como profeta do Senhor. Jeová continuou a aparecer em Siló, onde se revelou a Samuel através da sua palavra.



Os israelitas saíram à guerra contra os filisteus e Israel foi derrotado, cerca de quatro mil soldados israelitas morreram. As autoridades de Israel se perguntavam: "Por que o Senhor permitiu que os filisteus derrotassem Israel?" O conselho dos anciãos decidiu trazer a arca da aliança de Siló, porque a arca representa a presença de Deus.



Os filhos de Eli, Hofni e Finéias, acompanhavam a arca. Israel novamente perdeu e trinta mil homens morreram. Naquela mesma noite, os dois filhos de Eli foram mortos e a arca, raptada.


Eli ao ouvir os gritos quis saber o que houve, ao tomar conhecimento que os filhos morreram e a arca foi levada pelos filisteus, caiu da cadeira de costas, quebrou o pescoço e morreu, pois, era velho e pesado.



Quando a esposa de Finéias, que estava para dar à luz, soube que a arca de Deus foi capturada e que seu sogro e seu marido haviam morrido, entrou em trabalho de parto e deu à luz, mas não resistiu às dores.


Quando ela estava morrendo, as mulheres que o ajudaram disseram: "Não perca a esperança, você tem um menino". Ela não respondeu nem prestou atenção. Deu ao menino o nome de Icabode e disse: "A glória se foi de Israel" (cf 1 Samuel 4.1-22).




A Arca é Devolvida

Os filisteus trouxeram a arca de Deus de Ebenézer a Asdode, e a puseram no templo ao lado da estátua de Dagom. No dia seguinte, Dagom estava caído com o rosto em terra diante da arca de Jeová! Eles levantaram a estátua e puseram-na no lugar.



No outro dia, eis que Dagom estava caído com o rosto em terra diante da arca do Senhor. Sua cabeça e mãos estavam quebradas sobre a soleira; apenas seu corpo permaneceu no lugar. Por isso os sacerdotes de Dagom e todos os que entram em seus templos em Asdode não pisaram mais na soleira.



A mão do Senhor pesou sobre Asdode e arredores, afligindo o povo, e os feriu com hemorroidas. Logo disseram: "A arca do Deus de Israel não ficará conosco, porque a sua mão pesa sobre nós, e sobre nosso deus Dagom". A arca foi levada para Gate, mas quando ela chegou, o Senhor feriu os homens da cidade, tanto jovens como velhos, com tumores.



Eles enviaram a arca para Ecrom, quando estavam entrando na cidade, o povo começou a gritar: "Trouxeram a arca do deus de Israel para cá com a finalidade de matar a nós e a nosso povo".



Então os governantes decidiram devolver a arca, porque a mão de Deus pesava sobre os filisteus e os que não morreram foram acometidos de úlceras, e o clamor da cidade subiu ao céu (cf 1 Samuel 5.1-12).





Samuel Leva o Povo ao Arrependimento

A arca esteve vinte anos em Quiriate-Jearim. Israel suplicava ao Senhor. Então Samuel disse a todo o povo de Israel para se converterem a Jeová e tirar do meio deles os deuses estranhos e as imagens de Astarote, consagrando-se ao Senhor, e só a Ele servir, assim Ele vos libertará das mãos dos filisteus.




Os israelitas começaram a prestar culto somente ao Senhor. Samuel reuniu todo o povo em Mizpá e os israelitas jejuaram e arrependeram-se dos pecados que cometeram contra o Senhor. Ali Samuel começou a liderar como juiz.




A Derrota dos Filisteus

Os filisteus souberam da reunião dos israelitas em Mizpá e saíram para atacá-los. Os israelitas ficaram com medo e pediram a Samuel para não parar de interceder por eles. Samuel pegou um cordeiro ainda não desmamado e ofereceu inteiro como holocausto ao Senhor. Clamou em favor de Israel, e o Senhor lhe respondeu.



Os filisteus se aproximaram para a batalha contra Israel, mas o Senhor trovejou naquele dia com grande estrondo sobre os filisteus, e os deixou em pânico sendo derrotados.



Samuel ergueu uma pedra entre Mizpá e Sem; e deu-lhe o nome de Ebenézer dizendo: "Até aqui o Senhor nos ajudou". A mão do Senhor foi contra os filisteus todos os dias de Samuel.



As cidades que os filisteus haviam tomado de Israel foram restituídas, desde Ecrom até Gate; Israel libertou seus territórios das mãos dos filisteus, e houve paz entre Israel e os amorreus.



Samuel ia ano a ano em Betel, e Gilgal, e Mizpá, e julgava a Israel em todos aqueles lugares, mas sempre retornava para Ramá, onde ficava sua casa; e ali julgou a Israel, e ali edificou um altar em honra ao Senhor.



Ele ungiu os dois primeiros reis de Israel: Saul e Davi; também organizou a Escola de Profetas, o primeiro seminário teológico.





Conclusão

Quando o povo se desviou dos caminhos de Deus adorando outros deuses, os filisteus venceram a batalha sobre Israel, mas quando os israelitas se afastaram de seus ídolos e se arrependeram, o Senhor Todo-Poderoso teve misericórdia e deu a vitória a seu povo.



Se decidirmos voltar para Deus e nos arrepender dos nossos pecados. A nossa vitória será certa, pois Deus só age quando escolhemos estar perto dele.


Que possamos aprender com esses exemplos nos achegando mais a Deus!

“E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.” (2 Crônicas 7.14).



Leia o complemento deste artigo aqui 👉 Samuel e o Próprio Deus são Rejeitados

Baseado na Bíblia Sagrada



Por Julio Ferreira Lima






ABREVIATURAS


cf. Conferir


Referências dos textos Bíblicos:

Almeida Corrigida Fiel - ACF (Bíblia Online)


Referência Bibliográfica

BÍBLIA, Português. Bíblia de Estudo de Genebra. 2ª edição. Tradução de J. F. de Almeida. Edição revista e atualizada. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil (SBB); São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã, 1999. 1728 p 

Comentários

  1. Uma boa leitura para acalmar, a palavra de Deus é o caminho.

    desejos de uma feliz semana.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, amiga! É verdade, a Palavra é o caminha certo. Obrigado

      Excluir

Postar um comentário

Deixe o seu comentário para incentivar o nosso trabalho, será de grande valia para o crescimento do blog. Obrigado. Volte sempre.


Postagens mais visitadas deste blog

Jesus Dava Exemplos de Gratidão?

Jacó Foi Trapaceiro?

José, de Escravo a Governador do Egito

A Consolação de Israel