Deus Rejeita Saul Como Rei de Israel

Imagem
Atribuição: Ernst Josephson, Public domain, via Wikimedia Commons Deus Rejeita Saul Como Rei de Israel Israel saiu do sistema de governo teocrático para o monárquico. O primeiro rei foi Saul, ele teve um início brilhante, todavia a rebeldia invadiu o coração de Saul e Deus o rejeitou como rei. Neste blog há informações que relatam desde os tempos dos juízes até Samuel, o último juiz. Quem era Saul? Saul da tribo de Benjamim, filho de Quis, seu nome tem origem no nome hebraico Chaul, derivado do verbo cha’al, que quer dizer “pediu, solicitou, orou por”. Também era o nome original em hebraico do apóstolo Paulo.  Os filhos de Saul eram: Jonatas, Isvi e Malquisua. As filhas: Merebe e Mical, mais nova. Sua mulher chamava-se Ainoã, filha de Aimaãs. O comandante do exército de Saul era Abner, filho de Ner, seu tio. Como Saul se Tornou Rei de Israel Para conhecer a história de Saul precisamos saber como ele se tornou rei de Israel.  Samuel foi sacerdote e juiz, ele liderou Israel sob a orienta

A Fidelidade e a Santidade de Samuel


Ana-Samuel-Eli
Atribuição: Frank William Warwick Topham, Domínio, via Wikimedia Commons


A Fidelidade e a Santidade de Samuel

Samuel além de sacerdote, foi o primeiro profeta e o último juiz de Israel, e Deus o honrou por sua fidelidade e santidade. Os pais Elcana e Ana foram abençoados e tiveram filhos e filhas.


Ana, uma mulher atribulada de espírito, mas não embriagada, derramou a sua alma perante o Senhor. (cf 1 Samuel 1:15). Deus ouviu o balbuciar dos seus lábios e Ana deixou de ser estéril. Ela chamou o seu primeiro filho de Samuel que significa: “nome de Deus”.



Samuel foi entregue a Deus por sua mãe, ainda criança aos cuidados de Eli, sumo sacerdote e juiz de Israel, os pais Elcana e Ana foram abençoados por Eli e ela teve três filhos e duas filhas. Samuel cresceu na presença de Deus, mesmo com os maus exemplos dos filhos de Eli, ele não se desviou dos caminhos do Senhor e foi fiel até a sua morte.



A cada ano a mãe do menino leva uma túnica para o filho, ele crescia conhecendo a Palavra do Senhor, todavia a sua infância e juventude teve momentos difíceis nos quais o povo havia se desviado dos caminhos do Senhor, foram poucos os que permaneceram nos caminhos de Deus. Como se não bastasse, os próprios filhos de Eli faziam o que era mau aos olhos de Deus. Eles foram denominados filhos de Belial (cf 1 Samuel 2.12).



Eli já era muito velho, e ouvia tudo que os filhos faziam, inclusive deitar-se com as mulheres que em bandos se juntavam à porta da tenda da congregação.


Contudo, Samuel ministrava perante o Senhor, sendo ainda jovem, vestido com um éfode de linho.





Um Homem de Deus Repreende Eli


Jeová usou um homem para repreender Eli, dizendo-lhe que aqueles que o honrassem seriam honrados, mas aqueles que o desprezasse seriam desprezados. Foi anunciado que a casa de Eli morrerá na idade do seu vigor. Os dois filhos Hofni e Finéias morrerão no mesmo dia, o que será um sinal de tudo o que está por vir.



Ele também disse que Deus levantará um sacerdote fiel, que agirá conforme a vontade dEle. O Senhor lhe edificará uma casa segura, e ele andará diante do seu ungido. Foram muitas outras coisas que o Senhor falou a Eli através desse homem de Deus (cf 1 Samuel 2.27-36).



Esse sacerdote fiel que agirá conforme a vontade de Deus, é o profeta Samuel, O Senhor andará diante dele. Deus não abandona aquele que tem compromisso com Ele.



Deus Fala com Samuel

Samuel estava deitado no santuário, onde se encontrava a arca de Deus. O Senhor o chamou três vezes, a primeira e a segunda vez, ele pensou que fosse Eli e correu para o sacerdote, na terceira vez o sacerdote entendeu que o Senhor chamava Samuel, então Eli explicou como deveria responder ao chamado. Ao responder à voz de Deus, Ele disse a Samuel o que ia fazer com a família de Eli, devido aos pecados dos seus filhos, dos quais, tinha consciência, e não os puniu.




O Rapto da Arca e a Morte de Eli


O Senhor estava com Samuel e todas as profecias dele se cumpriam. Todo Israel o reconhecia como profeta do Senhor. Jeová continuou a aparecer em Siló, onde se revelou a Samuel através da sua palavra.



Os israelitas saíram à guerra contra os filisteus e Israel foi derrotado, cerca de quatro mil soldados israelitas morreram. As autoridades de Israel se perguntavam: "Por que o Senhor permitiu que os filisteus derrotassem Israel?" O conselho dos anciãos decidiu trazer a arca da aliança de Siló, porque a arca representa a presença de Deus.



Os filhos de Eli, Hofni e Finéias, acompanhavam a arca. Israel novamente perdeu e trinta mil homens morreram. Naquela mesma noite, os dois filhos de Eli foram mortos e a arca, raptada.


Eli ao ouvir os gritos quis saber o que houve, ao tomar conhecimento que os filhos morreram e a arca foi levada pelos filisteus, caiu da cadeira de costas, quebrou o pescoço e morreu, pois, era velho e pesado.



Quando a esposa de Finéias, que estava para dar à luz, soube que a arca de Deus foi capturada e que seu sogro e seu marido haviam morrido, entrou em trabalho de parto e deu à luz, mas não resistiu às dores.


Quando ela estava morrendo, as mulheres que o ajudaram disseram: "Não perca a esperança, você tem um menino". Ela não respondeu nem prestou atenção. Deu ao menino o nome de Icabode e disse: "A glória se foi de Israel" (cf 1 Samuel 4.1-22).




A Arca é Devolvida

Os filisteus trouxeram a arca de Deus de Ebenézer a Asdode, e a puseram no templo ao lado da estátua de Dagom. No dia seguinte, Dagom estava caído com o rosto em terra diante da arca de Jeová! Eles levantaram a estátua e puseram-na no lugar.



No outro dia, eis que Dagom estava caído com o rosto em terra diante da arca do Senhor. Sua cabeça e mãos estavam quebradas sobre a soleira; apenas seu corpo permaneceu no lugar. Por isso os sacerdotes de Dagom e todos os que entram em seus templos em Asdode não pisaram mais na soleira.



A mão do Senhor pesou sobre Asdode e arredores, afligindo o povo, e os feriu com hemorroidas. Logo disseram: "A arca do Deus de Israel não ficará conosco, porque a sua mão pesa sobre nós, e sobre nosso deus Dagom". A arca foi levada para Gate, mas quando ela chegou, o Senhor feriu os homens da cidade, tanto jovens como velhos, com tumores.



Eles enviaram a arca para Ecrom, quando estavam entrando na cidade, o povo começou a gritar: "Trouxeram a arca do deus de Israel para cá com a finalidade de matar a nós e a nosso povo".



Então os governantes decidiram devolver a arca, porque a mão de Deus pesava sobre os filisteus e os que não morreram foram acometidos de úlceras, e o clamor da cidade subiu ao céu (cf 1 Samuel 5.1-12).




Samuel Leva o Povo ao Arrependimento

A arca esteve vinte anos em Quiriate-Jearim. Israel suplicava ao Senhor. Então Samuel disse a todo o povo de Israel para se converterem a Jeová e tirar do meio deles os deuses estranhos e as imagens de Astarote, consagrando-se ao Senhor, e só a Ele servir, assim Ele vos libertará das mãos dos filisteus.




Os israelitas começaram a prestar culto somente ao Senhor. Samuel reuniu todo o povo em Mizpá e os israelitas jejuaram e arrependeram-se dos pecados que cometeram contra o Senhor. Ali Samuel começou a liderar como juiz.




A Derrota dos Filisteus

Os filisteus souberam da reunião dos israelitas em Mizpá e saíram para atacá-los. Os israelitas ficaram com medo e pediram a Samuel para não parar de interceder por eles. Samuel pegou um cordeiro ainda não desmamado e ofereceu inteiro como holocausto ao Senhor. Clamou em favor de Israel, e o Senhor lhe respondeu.



Os filisteus se aproximaram para a batalha contra Israel, mas o Senhor trovejou naquele dia com grande estrondo sobre os filisteus, e os deixou em pânico sendo derrotados.



Samuel ergueu uma pedra entre Mizpá e Sem; e deu-lhe o nome de Ebenézer dizendo: "Até aqui o Senhor nos ajudou". A mão do Senhor foi contra os filisteus todos os dias de Samuel.



As cidades que os filisteus haviam tomado de Israel foram restituídas, desde Ecrom até Gate; Israel libertou seus territórios das mãos dos filisteus, e houve paz entre Israel e os amorreus.



Samuel ia ano a ano em Betel, e Gilgal, e Mizpá, e julgava a Israel em todos aqueles lugares, mas sempre retornava para Ramá, onde ficava sua casa; e ali julgou a Israel, e ali edificou um altar em honra ao Senhor.



Ele ungiu os dois primeiros reis de Israel: Saul e Davi; também organizou a Escola de Profetas, o primeiro seminário teológico.





Conclusão

Quando o povo se desviou dos caminhos de Deus adorando outros deuses, os filisteus venceram a batalha sobre Israel, mas quando os israelitas se afastaram de seus ídolos e se arrependeram, o Senhor Todo-Poderoso teve misericórdia e deu a vitória a seu povo.



Se decidirmos voltar para Deus e nos arrepender dos nossos pecados. A nossa vitória será certa, pois Deus só age quando escolhemos estar perto dele.


Que possamos aprender com esses exemplos nos achegando mais a Deus!

“E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.” (2 Crônicas 7.14).



Leia o complemento deste artigo aqui 👉 Samuel e o Próprio Deus são Rejeitados

Baseado na Bíblia Sagrada



Por Julio Ferreira Lima






ABREVIATURAS


cf. Conferir


Referências dos textos Bíblicos:

Almeida Corrigida Fiel - ACF (Bíblia Online)


Referência Bibliográfica

BÍBLIA, Português. Bíblia de Estudo de Genebra. 2ª edição. Tradução de J. F. de Almeida. Edição revista e atualizada. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil (SBB); São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã, 1999. 1728 p 

Comentários

  1. Uma boa leitura para acalmar, a palavra de Deus é o caminho.

    desejos de uma feliz semana.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, amiga! É verdade, a Palavra é o caminha certo. Obrigado

      Excluir

Postar um comentário

Deixe o seu comentário para incentivar o nosso trabalho, será de grande valia para o crescimento do blog. Obrigado. Volte sempre.


Postagens mais visitadas deste blog

Jesus Dava Exemplos de Gratidão?

Jacó Foi Trapaceiro?

Terá, Pai de Abraão

A Consolação de Israel