Samuel e o Próprio Deus são Rejeitados

Imagem
  Lisens:  CC BY SA 4.0 Samuel e o Próprio Deus são Rejeitados (Complemento do artigo anterior) Os filhos de Israel sempre foram ingratos, esquecendo-se das obras de Deus, e de todas às vezes que clamavam por socorro e eram atendidos, agora além de desprezarem Samuel, rejeitaram a soberania de Deus. Já vimos que a mãe de Samuel, Ana, sob os cuidados de Eli, sumo sacerdote e juiz de Israel, entregou seu filho a Deus, e o menino cresceu aprendendo a Palavra de Deus. Samuel começou seu ministério como profeta muito jovem e foi o primeiro profeta de Israel (mencionado na Bíblia - Atos 3.24) e o último juiz. Se ainda não leu o início da história de Samuel, então leia neste artigo 👉 A Fidelidade e a Santidade de Samuel . O Início da Monarquia Samuel exortou o povo a abandonar seus ídolos, aproximar-se mais de Deus e preparar seus corações para o Senhor, que Ele libertará Israel das mãos dos filisteus. Samuel também convocou todo o Israel para congregar em Mizpá, ali houve arrependimento, je

As Tribos do Reino de lsrael Desapareceram?

Homem e interrogação

As Tribos do Reino de Israel Desapareceram?

É de suma importância observar a história de Israel desde a sua formação. Saber como o povo de Deus era governado, antes de o primeiro rei de Israel ter sido ungido por Samuel, vai nos ajudar a compreender o por quê de Deus ter levantado o Rei da Assíria contra o Reino do Norte; então vamos dar um passeio no passado desta história fascinante?


Breve Resumo do Início da História de Israel

Com Abraão inicia-se o povo hebreu, aproximadamente há 4.000 anos. Deus prometeu a Abraão uma terra aos seus descendentes:
“Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra” Gn 12.1-3.


”Abrão” (em hebraico Abram), que significa “Grande Pai”. A partir de Gênesis 17 Deus muda o nome de Abrão para Abraão que em hebraico é Avraham e significa “pai de muitos”. No Novo Testamento, no livro de Romanos 4.11, ele é chamado de “pai da fé”. Teve dois filhos: Ismael, com a escrava Agar, e Isaque, o filho da promessa, com Sara que teve o seu nome mudado para Sarai.

Isaque teve Esaú e Jacó com Rebeca. Deus mudou o nome de Jacó para Israel. A história de Israel começa a se formar com os doze filhos de Jacó, agora Israel, cada filho formou uma tribo, sendo que duas tribos receberam os nomes dos filhos de José, Manassés e Efraim, abençoados por Jacó como sendo seus próprios filhos (cf. Gn 48.5). O nome de cada tribo é: Ruben, Simeão, Judá, Zebulom, Issacar, Dã, Gade, Aser, Naftali, Benjamim, Manassés e Efraim.


A Soberania de Deus

Homem encima da pedra e as mãos para o alto

Encontramos no A.T. muitas referências que falam da soberania de Deus e dos seus feitos grandiosos. Uma passagem marcante no livro do Êxodo é a abertura do Mar Vermelho para que o seu povo escapasse da perseguição de Faraó. O rei havia se arrependido de ter deixado Israel sair do Egito, e os egípcios saíram com todos os cavalos e carros de Faraó, e os seus cavaleiros e o seu exército. Logo conseguiram alcançar o povo de Deus acampado junto ao Mar vermelho.

Os israelitas temeram e se queixaram com Moisés. Mas Moisés disse: "O SENHOR pelejará por vós, e vós vos calareis" (Êxodo 14.14). O mar se abriu e os filhos de Israel atravessaram o mar em seco; os carros de Faraó perderam as rodas, e seus cavaleiros ficaram desgovernados no meio do mar e as águas os cobriram. Moisés, líder do povo de Deus, entoou um cântico ao Senhor junto com os filhos de Israel reconhecendo a soberania de Deus: “O Senhor reinará eterna e perpetuamente" (Êxodo 15.18).

Outra referência que fala da soberania de Deus, se encontra em Jeremias: "Quem não te temeria a ti, ó Rei das nações? Pois isto só a ti pertence; porquanto entre todos os sábios das nações, e em todo o seu reino, ninguém há semelhante a ti" (Jeremias 10.7).

No período dos juízes, Deus escolhia aquele que ia julgar e libertar o povo dos seus opressores. Os juízes eram capacitados por Deus e cheios do Espírito Santo. Gideão foi um juiz humilde, corajoso e fiel a Deus. Ele libertou o povo de Israel da opressão dos midianitas. O povo o considerava um herói e quis fazer dele um rei. Porém Gideão se recusou a governar e reconheceu o Governo de Deus sobre Israel (cf. Juízes 8.22-23)



A Vontade Humana X A Vontade Divina

A aliança de Deus com Israel é baseada no reconhecimento da soberania Dele, contudo no tempo de Samuel, os israelitas ignoravam a soberania de Deus; diferente de Gideão que reconhecia essa soberania. Eles pediram um rei a Samuel, pois queriam imitar as outras nações. Além disso, rejeitaram a Samuel, juiz e profeta, e a autoridade suprema de Deus. Assim Deus permite que eles tenham um rei e impõem condições ao rei que reinará sobre Israel (cf. 1 Samuel 8.4-9).

Deus, com uma visão humana, escolhe Saul para ser rei, uma vez que Saul era perfeito aos olhos humanos, porque não havia outro semelhante em Israel (cf. 1 Samuel 10.24); porém no capítulo 15 versículo 10 de 1 Samuel Ele se arrepende de ter constituído Saul rei. A desobediência de Saul foi o motivo que levou Deus a rejeitá-lo. Logo Samuel foi orientado por Deus para ungir Davi, porque ele foi escolhido pela vontade divina.

"E, quando este foi retirado, levantou-lhes como rei a Davi, ao qual também deu testemunho, e disse: Achei a Davi, filho de Jessé, homem conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade" Atos 13.22.


Por que Deus dividiu o Reino de Israel?

No artigo: "Samaritanos e Judeus Adoradores em Conflitos" deste Blog, há um relato sobre a divisão do Reino de Israel. Creio que seja necessário relembrar e conhecer alguns detalhes da conquista de Jerusalém e dos antigos habitantes.

Carta de Amarna
Jerusalém já foi chamada de Jebus. Era conhecida como "Salém" por Abraão (cf. Gn 14.18). A primeira prova da existência da cidade de Jerusalém foi encontrada em Tell-Amarna (Alto Egito) nas inscrições em caracteres cuneiformes. O nome dessa cidade era Urusalem e seu rei era Abd Khiba.

No tempo da conquista de Canaã, por Josué, o rei de Jerusalém era Adoni-Zedeque (Js 10.3). Jerusalém foi um centro de resistência, de acordo com a Bíblia os habitantes eram uma tribo cananeia. A Bíblia relata que os filhos de Benjamin não expulsaram os jebuseus que habitavam em Jerusalém (Jz 1.21), nem os filhos de Judá puderam expulsá-los (Js 15.63).

Davi conquistou Jebus (a fortaleza de Sião) e a chamou de Cidade de Davi. A palavra "Sião" aparece na Bíblia pela primeira vez em 2 Sm 5.7 e uma única vez no livro de Samuel. Salomão, filho de Davi com Bete-Seba, sucedeu ao pai, construiu o templo e ampliou o reino. Foi o terceiro rei de Israel e o segundo da linhagem davídica.

Deus o deu sabedoria, fama e riqueza. Davi orientou Salomão para que fosse fiel a Deus e com certeza iria desfrutar das bênçãos divinas, no entanto ele se voltou para a idolatria e não seguiu as orientações de Davi. Como punição, Deus divide Israel em dois reinos. Após a morte de Salomão, o filho Roboão assumiu o trono, mas dez tribos do Norte não o aceitam como rei, porque ele havia declarado que iria reinar com mais rigor que seu pai.

Jeroboão, chefe dos servos da tribo de José (cf. 1 Reis 11:28), havia se rebelado contra Salomão e refugiou-se no Egito. Com a morte de Salomão, Jeroboão volta do Egito e as dez tribos do Norte o reconhecem como rei. Israel ficou dividida assim: Reino do Norte, conhecido como Reino de Israel, com dez tribos governadas por Jeroboão em Samaria; e Reino do Sul, conhecido como Reino de Judá, com duas tribos, a tribo de Judá e Benjamim governadas por Roboão em Jerusalém (refs.: I Reis 12.11-14 e I Reis 12.20).



Por que Deus levanta o Rei da Assíria para levar cativas as dez tribos do Reino de Israel?

O povo levado cativo
Jeroboão mandou construir dois santuários: um em Dã e outro em Betel para impedir que os seus súditos fossem prestar culto em Jerusalém, no Templo de Salomão. A Bíblia diz que Jeroboão apartou Israel de seguir ao Senhor. Seguiram os ídolos e as práticas das nações que estavam em derredor deles, queimando a seus filhos como sacrifício. (cf. 2 Reis 17).

As promessas que Deus fez a Jeroboão dependia da obediência e da fidelidade em guardar os estatutos e os mandamentos do Senhor. (cf. 1Reis 11.37.38). O mesmo profeta que falou da parte de Deus que Jeroboão seria Rei do povo do Norte. Também profetizou a destruição da casa de Jeroboão e todo aquele que morrer dele na cidade, os cães o comerão, e o que morrer no campo as aves do céu o comerão. Apenas o menino Aías, filho de Jeroboão, teve um sepultamento digno, porque Deus se agradou dele. (cf. 1 Reis 14.7-13).


Foram cinco dinastias diferentes do Reino de Israel e 19 reis, sendo que sete desses foram assassinados e um cometeu suicídio.O Reino do Norte foi marcado por violência, ambição, luxúria e muita injustiça. O culto a outros deuses e o desprezo às coisas de Deus contribuiu para a resistência contra o Senhor por 209 anos. Enfim essa história só podia ter um final amargo. O Império Assírio tomou a capital Samaria e levou os habitantes cativos. (leia o artigo: "Samaritanos e Judeus Adoradores em Conflitos").

Esse realmente foi o fim, pois até o dia de hoje não se sabe o paradeiro dessas dez tribos do Norte. Já as tribos do Sul, “Reino de Judá”, quando foram cativas por Nabucodonosor e o templo e a cidade foram destruídos, retornaram a Jerusalém após setenta anos de cativeiro. Como foi profetizado pelo profeta Jeremias (cf. Jeremias 25.11). Leia também o artigo: “Deus Ajusta Contas com o Rei da Babilônia". Aguarde novas aventuras bíblicas. Um abraço no coração e que Deus abençoe a sua vida. 




Baseado na Bíblia Sagrada



Por  Julio Ferreira Lima



Abreviatura Especiais
cf. (conferir)
refs. (referências) 
A.T. (Antigo Testamento)


Referências bíblica: 

Textos bíblicos on-line: João Ferreira de Almeida Corrigida Fiel


BÍBLIA, Português. Bíblia de Estudo de Genebra. 2ª edição. Tradução de J. F. de Almeida. Edição revista e atualizada. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil (SBB); São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã, 1999. 1728 p

Comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário para incentivar o nosso trabalho, será de grande valia para o crescimento do blog. Obrigado. Volte sempre.


Postagens mais visitadas deste blog

Jesus Dava Exemplos de Gratidão?

Jacó Foi Trapaceiro?

José, de Escravo a Governador do Egito

A Consolação de Israel