A Morte de Saul, Davi é Rei Sobre Israel

Imagem
Atribuição: Gerard van Honthorst, Public domain, via Wikimedia Commons A Morte de Saul, Davi é Rei Sobre Israel Davi Parte 4 Passaram-se três dias da derrota dos amalequitas, Davi estava em Ziclague, veio do arraial de Saul a Davi, um homem que se lançou no chão, e se inclinou diante de Davi. Ele disse que escapou do arraial de Israel e contou-lhe que o rei Saul o pediu para matá-lo. Ele o matou e levou a coroa e o bracelete de Saul a Davi, crendo ter feito um bem a Davi, disse ainda que Jônatas também morreu na peleja contra os filisteus. Davi chamou um dos seus moços para ferir aquele homem por ele não temer estender a mão para matar o ungido do Senhor ( cf  2 Samuel 1.14-15). Pois Davi lhe dissera: O teu sangue seja sobre a tua cabeça, porque a tua própria boca testificou contra ti, dizendo: Eu matei o ungido do Senhor (2 Samuel 1.16). Ele e seus homens rasgaram as suas vestes e prantearam a morte de Saul e Jônatas. Ele não permitiu que publicasse em Gate para que as filhas dos fil

A Trapaça de Jacó e Suas Consequências

Jacob sonhando
Atribuição: a Providence Litography Company, Domínio, via Wikimedia Commons

A Trapaça de Jacó e Suas Consequências


Jacó fugiu após trapacear o irmão, enganou o pai para receber a bênção da primogenitura no lugar de Esaú e sofreu as consequências. 


Os pais, Isaque e Rebeca, mandaram o filho fugir da fúria de Esaú e disseram a Jacó para ir até à casa do irmão de Rebeca, Labão em Padã-Arã, e casar-se com uma das filhas do tio.


Ele seguiu as orientações dos pais, ao chegar na casa do tio, gostou de Raquel, enganado pelo tio ao trabalhar por sete anos sem receber salário, em troca, casaria com a sua amada Raquel. 


Bem, esse era o trato. Contudo, a esperteza do tio passou do limite, ele enganou Jacó, fez Lia, a filha mais velha, se passar por Raquel no dia do casamento.


Neste blog há um artigo que conta a história de Jacó, todavia o que procurei enfatizar neste artigo é o fato de ele ter enganado o pai para receber uma benção que Deus já havia prometido, quando ele estava no ventre da mãe. Era necessário Jacó enganar o pai?



Porque Jacó Enganou Seu pai?

A questão é referente a uma promessa de Deus sobre o filho menor de Rebeca, quando Jacó e Esaú ainda estavam no ventre dela, Rebeca estava grávida de gêmeos e os dois lutavam na sua barriga. 


Rebeca não entendeu o que era aquilo, então falou com Deus e Ele respondeu-lhe que havia duas nações no ventre dela, e dois povos se dividirão, e um povo será mais forte do que o outro povo, e o mais velho servirá ao mais moço (cf Gn 25.22-23).


Esaú nasceu e em seguida Jacó nasceu segurando o calcanhar dele, por esse motivo se chamou Jacó. O desejo de Jacó era de receber a bênção da primogenitura. 


Porque essa bênção era tão importante? Ela tinha valores materiais e espirituais, mas os valores espirituais eram os mais significativos para Jacó.




Talvez ele nem tinha conhecimento da promessa de Deus, mas foi impulsionado pelo desejo de obter a primogenitura do irmão e quando tinha uma oportunidade, ele a agarrava. Uma das oportunidades que ele não deixou escapar foi quando Esaú chegou da caça cansado e faminto.



Jacó estava fazendo um guisado e Esaú pediu-lhe um pouco, ele disse para o irmão vender a sua primogenitura em troca do guisado. Ele disse a Jacó: "O que me aproveitará o direito de primogenitura" e o vendeu por um prato de lentilha (Cf Gênesis 25.28-34).



Rebeca sabia da promessa que Deus fizera de que o menor, Jacó seria o maior, ou seja, o direito de primogênito seria dele, mas ela ouviu Isaque prometer ir abençoar Esaú, assim que ele trazer uma caça para o pai comer, pois ele já estava perto da sua morte.



Rebeca chamou Jacó, o filho preferido dela, e insistiu para ele se passar por Esaú e receber a bênção que ele tanto almeja. Jacó ficou temeroso, mas Rebeca insistiu e ele acabou enganando o pai e recebeu a benção sem que Isaque percebesse estar abençoando Jacó, pois estava velho e não enxergava.




O direito de primogenitura era concedido ao primeiro filho, mas ele perderia esse direito por mau comportamento ou por questão de honra, como aconteceu com o filho primogênito de Jacó, Rúben, a honra e a autoridade foi conferida a José, filho de Jacó com Raquel. Devido ao incesto de Ruben com uma das concubinas de seu pai, Bila.



Veja uma parte da bênção que Jacó recebeu do pai Isaque:

“Sirvam-te povos, e nações se encurvem a ti; sê senhor de teus irmãos, e os filhos da tua mãe se encurvem a ti; malditos sejam os que te amaldiçoarem, e benditos sejam os que te abençoarem.” (Gênesis 27:29).



Esaú entristece os pais com suas mulheres estrangeiras


Jacó era mais ligado a Deus; diferente de Esaú, que não valorizava as promessas divinas. O irmão de Jacó, além de não se importar com as coisas espirituais, provocava seus pais com as suas esposas estrangeiras, que amarguraram a vida de Isaque e Rebeca.

"Ora, sendo Esaú da idade de quarenta anos, tomou por mulher a Judite, filha de Beeri, heteu, e a Basemate, filha de Elom, heteu. E estas foram para Isaque e Rebeca uma amargura de espírito." (Gn 26.34-35).




As Consequências Que Jacó Sofreu por Enganar o Pai


Já foi mencionado na introdução que Jacó fugiu da fúria de Esaú. Chegando em Padã-Arã, terra dos pais de Rebeca, trabalhou sete anos para casar-se com Raquel, a sua amada. O irmão de Rebeca, Labão, enganou Jacó. Ele havia tratado que daria Raquel ao sobrinho em troca de sete anos de trabalho.


Terminando os sete anos, o tio fez Lia, a filha mais velha, passar-se por Raquel. Labão casou a filha e Jacó não percebeu ser a irmã de Raquel. Jacó reclamou com o tio, no dia seguinte.
 

Simplesmente, ele disse ser costume do lugar, o pai casar a filha mais velha primeiro. E fez um novo acordo com o sobrinho, agora, teria que trabalhar mais sete anos para ter Raquel.



Ele trabalhou mais sete anos e casou-se com a sua amada. Contudo, ficou trabalhando para o tio por mais seis anos para adquirir bens e retornar a casa dos pais. Labão por várias vezes mudava o salário de Jacó na tentativa de parar com a prosperidade do genro.

"Tenho estado agora vinte anos na tua casa; catorze anos te servi por tuas duas filhas, e seis anos por teu rebanho; mas o meu salário tens mudado dez vezes." (Gn 31.41).


Com todas as trapaças do tio, Jacó conseguiu vencer, após vinte anos de trabalho intenso, adquiriu riquezas e retornou à terra dos pais, Canaã. O pai viveu por mais 60 anos.




Conclusão


Jacó enganou o pai e sofreu as consequências. Trabalhou duro durante anos, foi enganado pelo tio e muitas vezes Labão mudou o contrato do sobrinho para impedi-lo de prosperar. 


Já ouvi dizer que Jacó foi trapaceiro. Bem, eu particularmente não concordo, ele foi oportunista, diferente de trapaceiro. Ele aproveitava as oportunidades. 


Claro, nós temos defeitos e com ele não foi diferente. Jacó pagou caro por enganar o pai. Contudo, ele cria nas promessas de Deus. Tudo que ele conquistava atribuía a Deus. Foi através da fé em Deus que ele saiu vitorioso.




Baseado na Bíblia Sagrada



Por Julio Ferreira Lima

 




Abreviaturas


cf Conferir
Gn Gênesis


Referências dos textos Bíblicos:

Almeida Corrigida Fiel - ACF (Bíblia Online)


Referência Bibliográfica

BÍBLIA, Português. Bíblia de Estudo de Genebra. 2ª edição. Tradução de J. F. de Almeida. Edição revista e atualizada. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil (SBB); São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã, 1999. 1728 p

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Jesus Dava Exemplos de Gratidão?

Jacó Foi Trapaceiro?

Terá, Pai de Abraão

Débora, Uma Mulher Destemida