A Morte de Saul, Davi é Rei Sobre Israel

Imagem
Atribuição: Gerard van Honthorst, Public domain, via Wikimedia Commons A Morte de Saul, Davi é Rei Sobre Israel Davi Parte 4 Passaram-se três dias da derrota dos amalequitas, Davi estava em Ziclague, veio do arraial de Saul a Davi, um homem que se lançou no chão, e se inclinou diante de Davi. Ele disse que escapou do arraial de Israel e contou-lhe que o rei Saul o pediu para matá-lo. Ele o matou e levou a coroa e o bracelete de Saul a Davi, crendo ter feito um bem a Davi, disse ainda que Jônatas também morreu na peleja contra os filisteus. Davi chamou um dos seus moços para ferir aquele homem por ele não temer estender a mão para matar o ungido do Senhor ( cf  2 Samuel 1.14-15). Pois Davi lhe dissera: O teu sangue seja sobre a tua cabeça, porque a tua própria boca testificou contra ti, dizendo: Eu matei o ungido do Senhor (2 Samuel 1.16). Ele e seus homens rasgaram as suas vestes e prantearam a morte de Saul e Jônatas. Ele não permitiu que publicasse em Gate para que as filhas dos fil

Davi e Áquis da Filístia, o Fim de Saul

 

O suicidio de Saul

Davi e Áquis da Filístia, o Fim de Saul

DAVI PARTE 3
 
Davi, temendo perecer pelas mãos de Saul, partiu imediatamente para a terra dos filisteus com seus seiscentos homens e suas duas esposas, Ainoã e Abigail, viúva de Nabal, o rei dos filisteus, Aquis, gostou de Davi e deu-lhe a cidade de Ziclague.


Quando Saul soube que Davi estava em Gate, cessou com a perseguição. Davi habitou um ano e quatro meses nesta cidade, neste período, ele combateu os inimigos do povo de Deus.


O rei dos filisteus confiava em Davi e o levou para enfrentar o exército de Israel. Aquis estava na retaguarda do exército filisteu com Davi e seus homens, mas os conselheiros do rei opôs-se a decisão de ele levar Davi para a guerra contra o seu povo.


Aquis tentou convencê-los de que Davi era de confiança, contudo os conselheiros não permitiram. Davi fingiu estar inconformado, e retornou para casa. Com certeza, Deus impediu que Davi lutasse contra seus irmãos.


Todavia, ao chegarem à cidade de Ziclague ao terceiro dia, os amalequitas haviam invadido o sul e Ziclague, e queimaram a cidade e levaram cativas as mulheres e todos os que estavam nela.


A Confiança de Davi no Senhor

Davi e seus homens choraram muito. O povo queria apedrejá-lo, isso o deixou muito angustiado, contudo ele se fortaleceu no Senhor e consultou ao Senhor seu Deus. Davi recebeu a confirmação do Senhor que ele alcançará a tropa e libertará os cativos.


Ele partiu com os seiscentos homens, ao chegarem no ribeiro de Besor, duzentos homens pararam e não puderam atravessar o ribeiro de Besor de tão cansados que estavam. Davi e quatrocentos homens seguiram.


Os homens de Davi encontraram no campo um egípcio que estava há três dias e três noites sem comer, eles o levaram até Davi e deram-lhe de comer e beber até ele recuperar os sentidos.


Então Davi lhe perguntou de quem ele é; e de onde é. Ele disse ser servo de um homem amalequita e foi abandonado porque estava doente há três dias.


Davi perguntou ao homem se ele poderia descer para mostrar onde estava a tropa, Davi teve que jurar que não ia matá-lo nem entregá-lo nas mãos do seu senhor.


Ao avistarem a tropa, viram que os homens estavam espalhados e que bebiam e comiam e dançavam por tudo o que tomaram da terra dos filisteus e da terra de Judá.


O Resgate dos Cativos

Davi feriu todos os homens, apenas os quatrocentos que estavam montados sobre camelos fugiram, ele recuperou tudo que foi saqueado pelos amalequitas, inclusive todos os cativos foram libertos.


Quando chegaram aos duzentos homens que não puderam continuar porque estavam cansados, os soldados que foram com Davi não quiseram dar os despojos aos que ficaram.


Davi interviu e disse para dividir com todos, pois foi o Senhor quem lhes deu. Disse ainda que a parte dos que desceram com ele a peleja será também a dos que ficaram com a bagagem. Todos concordaram e isso foi posto por estatuto e direito em Israel.


Ao chegarem em Ziclague, Davi enviou do despojo aos anciãos de Judá, aos seus amigos e a todos os lugares em que andara Davi, ele e os seus homens (cf 1 Samuel 30:15-31).



A Morte de Saul

Os filisteus, foram contra Israel e os soldados de Saul fugiram deles e morreram na montanha de Gilboa. Eles também perseguiram Jônatas, Abinadabe, e Malquisua, filhos de Saul, e os mataram.


A luta contra Saul ficou mais acirrada, e os flecheiros dos filisteus o alcançaram. Ele ficou com muito medo e disse ao seu pajem de armas para o matar, pois não queria morrer pelas mãos dos filisteus.


Porém, o seu pajem de armas não quis matá-lo, pois temia muito; então Saul tomou a sua própria espada e se lançou sobre ela. O seu pajem, ao vê-lo morto, também se lançou sobre a sua espada, e morreu com ele.


Os homens de Israel, viram que os soldados de Saul fugiram, e que Saul e seus filhos estavam mortos, abandonaram as cidades e os filisteus habitaram nelas.


Os habitantes de Jabes-Gileade levaram o corpo de Saul e os corpos de seus filhos das muralhas de Bete-Seã, vieram a Jabes, os queimaram e enterraram os ossos debaixo de uma árvore em Jabes, e jejuaram sete dias (cf 1 Samuel 31:1-13).

👉 Este artigo faz parte de uma série de artigos sobre Davi:
 

Baseado na Bíblia Sagrada



Por Julio Ferreira Lima









ABREVIATURAS


cf. Conferir


Referências dos textos Bíblicos:

Almeida Corrigida Fiel - ACF (Bíblia Online)


Referência Bibliográfica

BÍBLIA, Português. Bíblia de Estudo de Genebra. 2ª edição. Tradução de J. F. de Almeida. Edição revista e atualizada. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil (SBB); São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã, 1999. 1728 p

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Jesus Dava Exemplos de Gratidão?

Jacó Foi Trapaceiro?

Terá, Pai de Abraão

Débora, Uma Mulher Destemida